Amor

 

Título: Sem Título

Dimensões: 100x80cm

Técnica: Óleo sobre tela

Ano: 1977

A Obra

O Surrealismo de Caio Santos
Introspectivo, assim como na infância também na adolescência e na idade adulta.
O temperamento fleumático é uma herança de família de meu Pai, meu Avô e minha Avó maternos. Creio ter sido minhas principais influências. Ainda hoje, sinto suas presenças. Ainda mantemos essa comunhão entre nós.
Sempre calados, silenciosos, pensativos, contemplávamos a vida nos afazeres diários com poucas palavras, nos fazíamos entender. Uma conexão que desafia o tempo e o espaço uma relação de harmonia, respeito, presença constante, paz, compromisso, responsabilidade e cumprimento do dever, sem erros, sem falhas, apenas bons sentimentos, com conexões que só  a supra-realidade pode explicar.

Estas são as “Imagens”, que uma a uma foram surgindo, inconscientemente, em minhas obras, são retratos reais, de um mundo real presente no  Universo paralelo denominado  Imaginário.
Habitante do Metafísico.

O Imaginário, é onde o Fantástico, o Maravilhoso, o Incrível, o Humor, os Sonhos encontram morada para  habitar. A justificativa plausível dos absurdos que fogem a lógica.
Não se trata de fuga da Realidade, mas sim, de dar um passo para o lado, atravessar o portal, a janela ou a ponte que conduz para o plano mental ideal e perceber o vasto mundo paralelo,  que sempre esteve ao lado em cada pessoa, em cada um de nós onde o impossível é concebido gerado planejado e trazido a realidade.

A Realidade, é o prenúncio, a primeira etapa, modelo do porvir.

O Artista

A Obra de Caio Santos conheceu diferentes fases e momentos desde que o artista iniciou a sua atividade. Na sua trajetória de incessante procura, as suas obras refletem esses momentos e a diversidade de técnicas e abordagens.

Pintor e Escultor, Artista Plástico. Presidente do INCCAS – Instituto Cultural Caio Santos e Diretor de Arte da ABRASCI – Academia Brasileira de Ciências, Artes, História e Literatura. Iniciou as suas atividades artísticas em 1974, como autodidata. A sua primeira exposição individual foi em 1980 na Sociedade Itabunense de Cultura, Itabuna, Bahia, com patrocínio do Banorte e apoio C.C.P.C. (Conselho Consultivo dos Produtores de Cacau).

Caio Santos

Presidente, INCCAS – Instituto Cultural Caio Santos / Escola de Arte

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Amor”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de…

ArabicChinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
google-site-verification: googlee73cd655be624699.html